Skip to content
01/22/2010 / Fiasqui

The Who Piano

01/22/2010 / Fiasqui

Haiti e Arcade Fire

Arcade fire mandou uma menssagem em seu site sobre o Haiti e o terremoto, eis o recado ai embaixo.

“Friends,
Haiti needs your help in her darkest hour.
We just got off the phone with our friends at Partners in Health.
Most of the medical infrastructure in Port-au-Prince is down.
Since Partners in Health’s clinics are in situated the surrounding areas and haven’t been damaged, they are mobilizing their resources towards the capital, setting-up field hospitals to treat the injured on the ground.
Also, Paul Farmer (the founder of PIH) is at the UN and has access to the best information on where to direct the money… so for the moment if you want to help, we suggest sending funds to: http://www.pih.org
+ donate.pih.org/page/contribute/haiti_earthquake?source=earthquake&subsource=homepage
Please be generous as time is of the essence.
love,
Win and Regine
p.s.
these photos convey some of what is going on:
+ http://www.boston.com/bigpicture/2010/01/earthquake_in_haiti.html

01/12/2010 / Fiasqui

DJ Pogo e Remix de Filmes

Hoje curiosamente entrei no blog da MariMoon achei algo bem interessante.
Um DJ Australiano andou pegando alguns filmes e remixando partes deles e fazendo um sonzinho bacana, típico de casa de musica alternativa de SP =)
Veja Alguns.


01/07/2010 / Fiasqui

Imagine por Zbigniew Rybczynski

Existem pessoas que dizem que na TV não existe Arte, mas digo o contrario na TV existe arte SIM!
Zbigniew Rybczynski prova isso com esse clipe de Imagine do J. Lenon

Agora o porquê é arte?
Arlindo Machado explica:

15. Imagine (EUA, 1987). Videoclipe de Zbigniew Rybczynski, música de John Lennnon
Aparentemente, temos aqui um imenso traveling sobre uma sucessão de salas situadas no topo de algum arranhacéu de Novo York. Um grupo de personagens transita entre elas, passando de um compartimento a outro, vivendo situações emblemáticas da vida (nascimento, amor, traição e morte), enquanto evolui da infância à velhice e atravessa todas as fases da vida. Na verdade, o mago da eletrônica Rybcynski não utiliza aqui nenhum traveling real, mas um efeito digital conhecido como push-on ou slide effect e que consiste em fazer com que cada plano “empurre” o anterior para fora do quadro, dando a impressão de que a câmera está em movimento. O resultado é desconcertante em termos de expectativas visuais, uma vez que o movimento aparentemente contíunuo da câmera não nos dá, como habitualmente, um espaço e tempo homogêneos e contíguos, em raccord como se diz no cinema, mas uma sucessão de saltos e descontinuidades.
– Arlindo Machado, A televisão levada a sério, pág 45

Obrigado!

01/06/2010 / Fiasqui

Parkour

Acho que não precisa de comentarios!

12/31/2009 / Fiasqui

Ano Novo com um Ritmo Carnaval Nerd!

Brazilian Star Wars  by  Fiasqui

12/29/2009 / Fiasqui

Box Critica – AVATAR

Avatar é o filme mais comentado nos ultimos dias e também é o Hit desse verão, filme que esta em produção desde TITANIC e até então nada foi revelado sobre o filme, qual seria a história, os traillers não empolgavam e ainda James Cameron dizia que ia revolucionar o cinema. Agora o filme está em cartaz desde o dia 18 de dezembro e adivinhem…mudou o cinema e esta dando mais dinheiro do que a FOX esperava, então o Box assistiu e decidiu falar sobre o que achou do filme e o motivo para tudo isso.

A História de Avatar é simples de se entender e até de prever o final. Jake Sully é um “Marine” que atualmente usa uma cadeira de rodas para se locomover e está afastado do cargo por causa de sua deficiência, nos primeiros minutos é informado que Jake possui um irmão gêmeo que morreu e que participava do Projeto AVATAR, e que a única pessoa que seria recomendada a substituir o irmão de Jake no projeto nada mais é que Jake. Logo em seguida começam a nos explicar o que é o Projeto, então é apresentado o local onde acontecera a história, Pandora, um planeta rico em um mineral que vale milhões para nós humanos pois serve de fonte de energia para nós humanos, descobrimos também que a mesma empresa que esta extraindo este mineral é a mesma que patrocina o Projeto Avatar, então descobrimos exatamente o que é o projeto Avatar. O Projeto é uma maneira de estudar melhor o povo que habita o planeta que são chamados e Na’vis, então seguindo a lógica da antropologia, a melhor maneira de estudar e conhecer um povo é se tornando um deles, e é isso que o Projeto faz, é criado em uma incubadora um corpo de Na’Vi, que não possui vida , nem alma e os humanos podem controlar esses Na’vis como se fossem bonecos, uma referencia para se entender melhor é quase o mesmo que entrar na Matrix. E quando o filme começa a desenrolar?

O filme começa quando Jake é o primeiro AVATAR que o povo Na’Vi decide deixar entrar na tribo, e Jake invés de seguir com a pesquisa, decide ajudar dando informações para o Coronel e para o Chefe Empreendedor do negócio no planeta. A história vai te lembrar de histórias como Pocahontas e até mesmo Iracema de José de Alencar.

Bom a história é simples, mas o que faz o filme ser tão bom assim? A Tecnologia? É Inegável falar da tecnologia em questão, tudo do mais alto nível que possa ter hoje esta lá, para o filme foi desenvolvido sistemas de renderização imediata em gravação de cenas com os personagens 3D, a tecnologia 3D, a profundidade que os cenários têm por causa do 3D, enfim milhares, mas bem sabemos que um filme como muita tecnologia não faz um bom filme então qual é o grande Fator X do filme?

Depois de muito pensar e analisar, o grande fator do filme esta em quem dirige o filme, sim, James Cameron, o filme é bom pois ele é o diretor. Não que ele seja um diretor que tenha nome igual Burton ou Spielberg, que são diretor que possuem Hype do momento, James Cameron nada mais é do que um Grande Diretor, ele sabe contar uma história, sabe desenvolver ela, ele entende da arte do cinema, por isso ele fez filmes como Exterminador do Futuro 1 e 2, Alien, Titanic e por ai vai. Pela primeira vez em muito tempo chega um filme bom onde o filem não comece com uma puta cena de ação, um filme que não te segura porque tem cenas de ação incríveis ou tramas de mais, mas por que o filme é bem contado, Cameron te faz ficar na história, por mais que você desconfie e talvez até saiba do final, ele laça todos os nós que propõe e nada no filme é em vão, tudo tem um motivo e nada é colocado para ter um motivo, tudo faz parte da Obra cinematográfica. James Cameron consegue com Avatar provar para mim estudante de Audiovisual, que ele é um diretor de respeito que merece ser estudado, pois Cameron sabe usar a Tecnologia para contar a história que ele propõe e não faz com que a Tecnologia  conte sua história.

AVATAR é mais legal ser visto em 3D e em IMAX, mas é um filme muito bom, que em momentos de crise criativa de Hollywood a única produtora que eu não acreditava mais em nada, investe em um cara que sabe o que faz. James Cameron merece Palmas e em pé!