Skip to content
12/07/2009 / Fiasqui

1º de Dezembro – Dia Mundial Contra o HIV

Para quem não sabe no dia 1º de Dezmbro, foi o dia mundial contra o HIV e a campanha deste ano focava contra o preconceito que existe com as pessoas que possuem o HIV e não contra o vírus especificadamente.
Por enquanto divulgaram 2 Vídeos publicitarios muito bem feitos, um mostrando uma obra de Vick Muniz e outra apenas um vídeo muito bem feito.

O Making Off do video do Vick Muniz:

Advertisements
12/07/2009 / Fiasqui

Victoria’s Secret e Michale Bay

Lembram do Michale Bay?
Sim, este mesmo, o famoso cara que dirigiu Transformers!
Acontece que o cara dirigiu um video para a Victoria’s Secret e o resultado você confere ai embaixo!

11/27/2009 / Fiasqui

Queen and Muppets

11/04/2009 / Fiasqui

Google em 2 minutos

Você sempre quis saber a história da Google, pois bem ela mesma produziu um video que conta sua história em apenas 2 minutos!

Confira ai:

10/22/2009 / Fiasqui

É assim que se arrumam as coisas…

Steve Jobs é um cara que sempre me impressiona, sempre criando produtos inovadores em tecnologia e puxando a anos luz os concorrentes com seus produtos, assim evoluimos na tecnolia hoje em dia.
Hoje ao entrar no site da Apple Store me deparei com o novo mouse e achei sensacional!
Para os que usam Mac, como eu, sabe que o mouse da Apple tem um grande problema, que é aquela bendita bolinha, que se suja para limpar você ta bem encrencado é realmente muito chato isso.
Agora confira como a apple soluciona o problema =D

Apenas uma Palavra: Sensacional!

10/16/2009 / Fiasqui

Moviola Box: Momentos…

Ja diria o nosso velho amigo da Jovem Guarda, “São tantas emoções…” e Will Hoffman também pensando em algo assim, fez um video baseando em pequenos momentos das nossas vidas que as vezes deixamos passar despercebidos, o resultado disso foi um v´dio muito interessante e que nos faz refletir sobre os pequenos momentos.

Olhe ai:

07/02/2009 / danoliveira

Vimos: Transformers – A vingança dos derrotados

2 anos se passaram desde o início da saga de robôs gigantes que se espancam de Michael Bay, e os fãs já estavam ansiosos pela seqüência mais do que óbvia da franquia dos brinquedos da Hasbro adaptada para o cinema. Transformers – A vingança dos derrotados chegou semana passada nos cinemas para saciar a sede por pancadaria e efeitos especiais que encheu nossos olhos em 2007.

Aliens que viram robôs? Hell yeah.

Aliens que viram robôs? Hell yeah.

Mas o que esperar do filme? Confesso que, a princípio, estava meio ressabiado de gastar meu dinheirinho para assisti-lo, afinal, tinha lido trilhões de resenhas metendo o pau na obra, dizendo que Sr. Michael Baía havia errado a mão. Mas como adorador de Transformers que sou, dei a cara a tapa. Tenho que dizer que valeu a pena. E muito.

Transformers 2 cumpre muito bem a premissa “Esqueça seu cérebro fora da sala de cinema e veja explosões e cenas de ação”. Para quem gosta, o filme é um prato cheio, daqueles de pedreiro depois de erguer um muro, até pela duração do filme: são 2 horas e 23 minutos de pancadaria, explosões, carros lindos, robôs, Megan Fox, mais explosões… Ufa! O filme é enorme, e foi cansativo assisti-lo por conta disso, mas o diretor soube equilibrar muito bem ação e a ladainha da história (que não é nem de longe o ponto forte do filme; é fraquíssima).

Falando em história, a trama se passa 2 anos depois do filme anterior (dãr :B). Nesse meio tempo, os Autobots (ou “galerinha do bem”) fazem uma aliança secreta com o governo do Mundo EUA para eliminar alguns dos Decepticons (ou “galerinha do mal”) remanescentes no planeta. Aliás, a primeira cena, utilizada justamente para explicar essa aliança, é uma das mais breathtaking que eu já vi em qualquer filme de ação. Piscou, perdeu. Enfim, simultaneamente a essa guerra, Sam Witwicky (Shia Labouf, considerado por Spielberg o ator definitivo de filmes de ação) está entrando na faculdade, tentando se desvencilhar da guerra. Porém, acaba portador de um segredo que obrigatoriamente o jogará para dentro de toda a baderna que os aliens gigantões fazem no nosso belo planeta já não suficientemente ferrado. Yey!Optimus Prime, ou Líder da galerinha do bem

Todos os elementos que fizeram Transformers um dos filmes mais legalzões do gênero estão na segunda edição: Humor, Megan Fox (que eu não consigo deixar de pensar que é fruto de efeitos especiais, só podem ser efeitos especiais…), Optimus Prime, Megatron, efeitos especiais maravilhosos (ver os robôs se transformando faz muito mais sentido nessa sequência do que no original. E as cenas de transformação são simplesmente perfeitas. Destaque para a 1ª metamorfose de Optimus e a construção modular de Devastator), som de primeiríssima linha (explosões, oras bolas :B além disso, a trilha sonora ficou por conta da galera do Linkin Park, que transformaram What I’ve Done em ícone dos robôs… infelizmente)… E tudo com muito mais destaque. Além das já mencionadas transformações mais legalzonas, tivemos um número estrondosamente maior de robôs, o que, de certa forma, tirou o carisma que o primeiro filme trazia consigo.

Acho difícil Transformers – A vingança dos derrotados não ser indicado para melhores efeitos especiais no Oscar do ano que vem, pois o trabalho que tem sido feito nesses 2 anos com certeza merece isso. É um filme que, novamente, enche os olhos do espectador, prende a atenção pelas longas 2 horas e meia, e vale a pena assistir no cinema. O primeiro é um marco nos filmes de ação, e o segundo não fica muito atrás, muito pelo contrário, é tão divertido quanto o primeiro. Mas não vá ao cinema achando que verá um dos melhores filmes de sua vida, que carrega “aquela” história e mensagem. É, como dito anteriormente, um filme para esquecer que você possui um cérebro, e se deixar maravilhar pela obra.

Para quem ficou curioso, aí vai o trailer: